10 de novembro - Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez

Data: 08/11/2019

O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez é uma campanha promovida pelo Sistema de Conselhos de Fonoaudiologia e visa orientar a população sobre os cuidados com a audição. A fonoaudióloga do município de Machadinho, Juliana de Lima Theodoro, faz uma referência à data e apresenta os diferentes segmentos e faixas etárias, com alguns critérios específicos:

Gestantes:

- Controle dos fatores que interferem no desenvolvimento do feto (hipertensão, diabetes, utilização de drogas ototóxicas e outros);

- Imunização e controle de doenças que podem levar a infecções congênitas (rubéola, sífilis, toxoplasmose, citomegalovírus);

- Orientação sobre a elevação da cabeça do bebê durante a mamada para prevenir alterações de ouvido médio.

Crianças e adolescentes:

- Identificação precoce dos neonatos através do TESTE DA ORELHINHA que devem ser referenciados para avaliação especializada;

- Imunização e controle de doenças infantis como caxumba, sarampo, meningite;

- Orientação para evitar acidentes com a introdução de objetos e hastes de limpeza na orelha, que podem ferir e prejudicar a lubrificação natural do conduto (cerume);

- Atenção aos transtornos das vias aéreas superiores (otites de repetição e outros);

- Acompanhamento do desenvolvimento sensório-motor, psicológico, cognitivo, visual, auditivo e de linguagem por meio da observação do comportamento da criança/bebês;

- Orientação à família com relação ao desenvolvimento de linguagem e da audição, valorizando a preocupação e/ou suspeita dos pais quanto à capacidade auditiva de seus filhos;

- Orientação acerca dos riscos da exposição ao ruído não ocupacional (aparelhos eletrônicos, brinquedos, ambientes de lazer com níveis sonoros elevados e outros);

Adultos e Idosos:

- Orientação para evitar acidentes com a introdução de objetos e hastes de limpeza na orelha, que podem ferir e prejudicar a lubrificação natural do conduto (cerume);

- Orientação acerca de fatores de risco para a audição no ambiente de trabalho (ruído, vibração, produtos químicos) e uso de equipamentos de proteção individual (EPI);

- Orientação acerca dos riscos da exposição ao ruído não ocupacional (aparelhos eletrônicos, ambientes de lazer com níveis sonoros elevados e outros);

- Identificação de idosos e adultos com queixa de alterações da audição, vertigem, chiado ou zumbido no ouvido que devem ser referenciados para avaliação especializada;

- Orientação e acompanhamento quanto ao uso de medicamentos para hipertensão, diabetes e problemas renais;

Em casos de suspeita de perda auditiva realizar consulta médica e encaminhamento para avaliação audiológica.

O fonoaudiólogo é o profissional habilitado para cuidar dos aspectos voltados à audição. Trabalha com a prevenção de perdas auditivas e realiza avaliação e reabilitação.  Além disso, seleciona, indica e adapta aparelhos auditivos. Na escola em parceria com os educadores, orienta e propõe estratégias que contribuam com a aprendizagem e para o processo de inclusão.

Texto: Juliana de Lima Theodoro – Fonoaudióloga Clínica Especializada em Linguagem. Atua no município de Machadinho há 19 anos.

Gallery_big_3f1d21f6a5cb911f7b09291f5ec408fb
Imagens marco e abril 17 125.JPG